Terça-feira, 28 de Agosto de 2007

Quando a Lua está prenha de luar.

.Que esta noite guarde os nosso sonhos

Para lá do sempre

Em seu ventre situado entre a luz das estrelas e o luar

 

Que o teu corpo guarde o meu

Pelas noites

Por todas as que nunca te poderei ter

 

Que a tua voz me embale antes de dormires

Que sonhes pelas noites as nossas noites impossíveis

 

Não chores as lágrimas que não chorei

Sorri apenas abraçada naqueles segundos

Deixa que o orvalho te humedeça a pele

Ao mesmo tempo que corta a minha

 

Não me deixes dar instruções de como sofreres

Sofre à tua maneira

Eu sofro à minha

Unidos numa espécie de morte

A florir dor

Sob a bênção do luar

 

Naquele lugar

Ecoam melodias de embalar

Dança a solidão tão cheia de ti

Às vezes quase te consigo tocar

Quando a Lua está prenha de luar.

música: "D'ont Let Go" dos The Rasmus

publicado por Buraco Negro às 00:01
link do post | comentar
Quarta-feira, 6 de Junho de 2007

Diálogos de luz e escuridão

Dedicado a T.O.R.:

.Farrapos de Lua
Escorreitos pelas curvas de teu corpo

Na tua nudez nocturna
Há um clamor do meu sangue pelo teu

Diálogos de luz e escuridão
De zeros e uns

Nos ângulos da alma
Na faceta íntima de ti
Encontro a revelação, o desejo, a morte ritual
Liberto em ti pedaços gotejantes de mim
Que te invadem
[contornam]
Até acabarem por fazer parte de ti

Quando me olhas
De dentro de mim
E vês para lá da penumbra
? Sorris

Quando me recebes no teu receptáculo lunar
? Sentes-te curada pelo meu sangue

Quando adormeces na escuridão dos meus braços
Ao bater do meu peito
? És feliz

publicado por Buraco Negro às 00:26
link do post | comentar
Sexta-feira, 2 de Março de 2007

A Lua que existe em redor de teus olhos

.A Lua que existe em redor de teus olhos
A Lua olha-me pelos teus olhos
Quando a luz é a chuva de teus olhos
Dissolve-se a Lua que te rodeia os olhos

Quando chove
A Lua escorre pela tua face
Traço preto na alvura

Às vezes chove à porta
Do inferno
Que é a tua boca

Às vezes chove parte de mim em ti
Evaporo-me no rubor cinzento de tuas faces
Às vezes condeno-me
Pelos
Para
Os teus lábios.
música: "Becoming light" dos Process of Guilt
tags: , , ,

publicado por Buraco Negro às 22:33
link do post | comentar
Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2007

Intangível

.Olho o céu
Este céu nocturno
Irrepetível
Intangível num breve olhar

Olho-o olhando para mim

É bela esta noite
Bela como amanhã não será
Bela na sua morte anunciada

Olho-me na noite
Sem me achar
Sem vontade de me procurar

Sou prisioneiro de um olhar
De uma noite ao luar
Sou a noite que há em mim
Sou a extensão da morte que há em mim
Sou tudo aquilo que esqueci.

publicado por Buraco Negro às 19:31
link do post | comentar

o Buraco


. 17 seguidores

Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Quando a Lua está prenha ...

Diálogos de luz e escurid...

A Lua que existe em redor...

Intangível

tags

todas as tags