Segunda-feira, 3 de Junho de 2013

S/N

.Sem nome

Talvez escondido na distância colossal entre o seis e o sete

No limiar fugaz em que o dia e a noite se tocam

Na distância infinita de uns lábios que se amam e não se podem tocar

 

Quando chovi

Choveste comigo

Um qualquer jardim ficou florido

 

Quando misturo sonhos e metáforas

Para contar tudo o que sei de ti

Treme-me a mão e nunca o consigo escrever

Embarga-se-me a a voz e não consigo cantar

 

Quando anoiteci

Anoiteceste comigo

O teu céu, adormeceu comigo.


publicado por Buraco Negro às 22:05
link do post | comentar

o Buraco


. 17 seguidores

Julho 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Carne

Depeche Mode - In Your Ro...

Phantom Vision - Far Enou...

Paradise Lost - Faith Div...

Mater

Type O Negative - Dead Ag...

Lycia - Pray

E

W

Negură Bunget - Dacia hip...

tags

todas as tags