Terça-feira, 8 de Maio de 2012

Brisa

Brisa suave que se sossega na minha pele

Sonho cristalino a amolecer

As palavras que para sempre perderei 

 

Não há manhã

Sorriso triste esquecido nos lábios de uma criança

 

Escavo a casca do tempo

Na ilusão de encontrar

Quem sabe a florir pelo lado de dentro

A sede que me está a consumir.

 


publicado por Buraco Negro às 00:06
link do post | comentar

o Buraco


. 17 seguidores

Abril 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

15
16
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Mater

Type O Negative - Dead Ag...

Type O Negative - Hallowe...

Lycia - Pray

E

W

Negură Bunget - Dacia hip...

Process of Guilt - Blindf...

Editors - The Weight of t...

S

tags

todas as tags