Domingo, 5 de Fevereiro de 2012

# 2

.Quando o vento sossegar

... Deixar de levar as páginas onde tento escrever

Haverei de cinzelar na pedra este negro traço 

Receberei a noite com um sentido abraço

 

Não sei por onde remar

Por onde começar a desfiar este tormento

Mar de memórias tormentosas que me salga carne

Corrói os ossos que sustentam a minha lucidez

 

Sei [que por fim] te irei encontrar

Nas pedras que nascem da terra

Ossários de destino comum

 

Sei [que no fim] quando te tocar

O Vento vai inflamar as velas

Que fazem navegar meu coração encalhado

Mortificar [até que enfim] este pescoço de dependurado.


publicado por Buraco Negro às 23:10
link do post
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


o Buraco


. 17 seguidores

Outubro 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Eis o homem

Carne

Depeche Mode - In Your Ro...

Phantom Vision - Far Enou...

Paradise Lost - Faith Div...

Mater

Type O Negative - Dead Ag...

Lycia - Pray

E

W

tags

todas as tags