Quinta-feira, 2 de Novembro de 2006

SOU

Sigo o rasto de luz, sigo o rasto dos restos de sangue da noite. volto-me para o passado obscuro e carente de luz. Olho-te na penumbra, sigo-te absorto por ti, fujo da luz pare te encontrar na escuridão, busco a luz para te encontrar a ti. Acordo de um letargo consciente, acordo para os teus braços confortáveis e luminosos. Adormeço a teu lado na nossa escuridão, que é luz parcialmente. Corro pela noite só para te vislumbrar num daqueles espectáculos celestes que cessam a monotonia dinâmica da noite. Recordo aquela noite, igual e diferente das demais. Recordo-te, recordo aquela, esta e aquela noite em que tu és a brisa que entra e me conforta os pulmões, que me faz lembrar a bênção de te ter nestas noites invernais. Sou à noite a noite que há em mim, sou a escuridão em que as entidades celestes que tu és  se penduram. Sou aquilo que não seria sem ti. Sou a noite que não seria sem a tua presença luminosamente escura. Sou o prolongamento do teu sangue, sou o raio de luz que parte de ti, sou o último esgar de escuridão. Sou...


publicado por Buraco Negro às 22:09
link do post | comentar

o Buraco


. 17 seguidores

Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Depeche Mode - In Your Ro...

Phantom Vision - Far Enou...

Paradise Lost - Faith Div...

Mater

Type O Negative - Dead Ag...

Lycia - Pray

E

W

Negură Bunget - Dacia hip...

Process of Guilt - Blindf...

tags

todas as tags