Domingo, 8 de Março de 2009

Sufocar

. Quando te descalças pisas os céus
Geómetra de um bailado que faz tilintar as estrelas

Em todos os jardins há cidades
Que dormitam em ninhos de espinhos
Flores embriagadas pelo céu
Sequiosas pelo sibilar da luz

Nas entranhas que desconheço
Passeiam os vapores doces de uma manhã
Uma mãe saciada pelas dores de parto
Tece a placenta que há de ser a corda que abraçará o pescoço dos dependurados

Solidão
Menstruação em hibernação

Arranco pedaços de mim mesmo
Para alimentar
Uma chama que arde uma serenata estática

Olho os opúsculos
Em que finjo acreditar
Conforto epidémico em que gosto de me sufocar.

 


publicado por Buraco Negro às 20:45
link do post | comentar

o Buraco


. 17 seguidores

Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Type O Negative - Hallowe...

Lycia - Pray

E

W

Negură Bunget - Dacia hip...

Process of Guilt - Blindf...

Editors - The Weight of t...

S

Clan of Xymox - Jasmine a...

Star Industry - Nineties

tags

todas as tags