Quinta-feira, 8 de Novembro de 2007

Espalhada pela noite

Dedicado ao meu mestre [], uma vénia pela sua suprema inspiração

 

 

.”Conjuro a tua nudez”

Espalhada pela noite

 

Poderia tomar a morte

Como mais que mero devaneio

 

Um desejo gritado num ensejo

Demente a baloiçar no limiar da esperança

 

Dias absortos

Luto crepuscular

 

Um qualquer arauto

De uma abnegação

Tornada a mais cruel maldição

 

Erro por noites

Que depois colho como perdidas

 

Tento um esgar de luz

Um gesto, uma errónea salvação

Enceto a fuga ao tormento


Mas

 

Morres-me.

 


publicado por Buraco Negro às 21:26
link do post | comentar

o Buraco


. 17 seguidores

Julho 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Carne

Depeche Mode - In Your Ro...

Phantom Vision - Far Enou...

Paradise Lost - Faith Div...

Mater

Type O Negative - Dead Ag...

Lycia - Pray

E

W

Negură Bunget - Dacia hip...

tags

todas as tags