Quinta-feira, 4 de Outubro de 2007

Apenas o arrepio é desigual

     Imbui de fé o punhal. Usa-o com suprema sapiência para trespassar a fronteira que é a pele. Embora não saibas, segues ritos e regras ancestrais. O ónus do teu sangue.
     A fé é o calor da tua mão, aquele que transmites à madeira do cabo. O calor que invade a madeira morta por ter sido privada de raízes. Madeira com veias que mais não são que estradas desertas. O silêncio onde outrora escoava uma seiva turbulenta e borbulhante. Agora sabes que agarras a morte. Agarra-la com firmeza para que a lâmina encontre o seu caminho e cumpra a sua profissão de fé.
     O sangue que escorria pela lâmina num fio contínuo ramifica-se num emaranhado de destinos. Seguras um ícone da vida empunhando a morte. Macabro relicário, afinal uma mera extensão da tua mão. Desconhecias que a tua mão pudesse estar a mesma temperatura que o confortável cabo de maneira, mas agora sabes que a temperatura é a mesma. Apenas o arrepio é desigual.
música: "En Vind av Sorg" dos DarkThrone

publicado por Buraco Negro às 20:54
link do post | comentar

o Buraco


. 17 seguidores

Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Depeche Mode - In Your Ro...

Phantom Vision - Far Enou...

Paradise Lost - Faith Div...

Mater

Type O Negative - Dead Ag...

Lycia - Pray

E

W

Negură Bunget - Dacia hip...

Process of Guilt - Blindf...

tags

todas as tags