Quarta-feira, 17 de Abril de 2019

Mater

.Eis-me a desaguar

A verter o teu último olhar

Contigo algures a cintilar

 

Cinzas

A pulsar no céu

Inocente fogo que nasce para cessar

 

Procuro-te, perdendo-me nas ruas desta cidade

Quero o teu útimo olhar

A mentira ou a verdade 

Algo que me faça serenar

Não quero ver o alvorecer da fealdade

 

Como arde

A borboleta que me consome 

Como é doce

O sabor do mel a definhar

 

A tua mão outrora foi minha 

Estou só nesta viagem

Calor que ora aquece ora definha

 

Ritmado, dolente e  resignado

Apenas a dor quero fruir 

Engolir um cardo espinhoso a florir.


publicado por Buraco Negro às 01:25
link do post | comentar

o Buraco


. 17 seguidores

Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Phantom Vision - Far Enou...

Paradise Lost - Faith Div...

Mater

Type O Negative - Dead Ag...

Lycia - Pray

E

W

Negură Bunget - Dacia hip...

Process of Guilt - Blindf...

Editors - The Weight of t...

tags

todas as tags