Quinta-feira, 7 de Julho de 2016

S

.Sal que me percorre as veias

Rumo ao sul

S

Coração que bate pesaroso

Salgado

Mar temperado

Com mágoas

Crispado e revolto até ao fim

S

Pobre e frágil a barca

Que me serve de caixão

Suspenso

Atordoado

Num éter-salvação

S

Sal que transformas numa chaga

Este meu corpo degradado

S

Embala-me

Com a serenidade que precede uma tempestade

Devolve-me

Perene a florir liberdade.


publicado por Buraco Negro às 17:59
link do post | comentar
1 comentário:
De Pedro Rodrigues a 22 de Março de 2017 às 12:04
Oh querido autor,

Sabes que podes sempre contar comigo mesmo estando longe.

Liga-me quando quiseres.

Um grande abraço,


Comentar post

o Buraco


. 17 seguidores

Lua

CURRENT MOON

Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

E

W

Negură Bunget - Dacia hip...

Process of Guilt - Blindf...

Editors - The Weight of t...

S

Clan of Xymox - Jasmine a...

Star Industry - Nineties

N

Shape of Despair - Monoto...

tags

todas as tags

visitas ao buraco

Website counter